Skip to content

TONY GRAY, O PLANTADOR DE IGREJAS

23 de abril de 2012

O QUE PRECISAMOS FAZER PARA QUE NOSSOS PROJETOS OBTENHAM ÊXITO

 José Caldas da Costa (jornalista)

Cansado, depois de um fim de semana em nosso seminário de treinamento para o sucesso, ainda assim dirigi-me para o culto coletivo noturno da Igreja Batista da Praia (Vila Velha), onde reencontrei um velho conhecido: Tony Gray, levando-me de volta aos tempos de Juventude Batista Capixaba, quando liderávamos, eu e Euzi, os adolescentes da Primeira Igreja de Colatina.

Tony continua o mesmo: cantando divinamente, extrovertido, alegre, objetivo e claro no falar. Sua trajetória continua sendo a de um plantador de igrejas. Foi assim que o conheci. Em 1987, acompanhamos a construção, em cinco dias, de um templo batista em Marilândia, no Norte do Espírito Santo, com a participação de um grupo de voluntários do Estado do Kentucky (EUA), dentre eles muitos jovens.

Na noite do último domingo, foi bom conviver com a energia desse norte-americano quase sem sotaque (diferentemente, dos tempos em que o conhecemos). E, mais ainda, de ouvi-lo pontuar, a partir da história do paralítico de Cafarnaum (Evangelho de Marcos, capítulo 2, dos versículos1 a12), o que precisamos fazer para que nossos projetos sejam bem sucedidos.

Naturalmente, que o foco era o trabalho cristão, porém, a lição se aplica a todas as áreas da vida. Se não, vejamos: Tony Gray começou contando a história, que dá conta de que Jesus estava em Cafarnaum reunido dentro de uma casa e uma multidão cercava a residência, todos levando suas angústias para o mestre.

No meio da multidão, havia um paralítico, que, obviamente, não tinha a menor condição de chegar àquele que encantava as pessoas e as libertava de seus incômodos. Quatro homens, então, pegaram a maca com o paralítico, subiram na casa, abriram o telhado e o desceram até a presença de Jesus.

É, didaticamente, divertido ver e ouvir Tony Gray imaginando a cena daqueles homens tomando essa providência, mas, sobremaneira, chamou-nos a atenção não apenas os aspectos do projeto bem sucedido, mas um fato mencionado pelo orador: não há referência a que aqueles quatro homens fossem amigos do paralítico. É aí que entra a “mágica” da história, porque vem o primeiro ponto para o sucesso de um projeto.

1. Compaixão – alguém já deve ter ouvido isso antes, acerca da necessidade de se ter paixão pelo que se faz. Mas compaixão tem um sentido diferente. Não é apenas compadecer-se dos necessitados, mas agir. Compaixão sem ação é pura emoção, referiu-se Tony. Aqueles homens não conheciam o paralítico, mas se compadeceram dele. Quando é acompanhada de ação, a compaixão traz resultados.

2. Cooperação – eram quatro homens e um paralítico numa maca. Quem já carregou uma maca sabe que não se chega a lugar nenhum se cada um seguir em uma direção ou caminhar em velocidade diferente. É necessário harmonia entre os participantes, em espírito de cooperação (operação simultânea e coordenada), para se obter êxito. No caso da igreja, citou, “é cada um usar o dom que recebeu do Espírito Santo para a edificação da obra de Deus”.

3. Determinação – qualquer execução de um projeto exige determinação, superação. Os quatro homens não se intimidaram diante da multidão e da “impossibilidade” de acesso à casa onde se encontrava o mestre dos mestres. Diante do desafio, pararam, pensaram, planejaram e executaram. E tinham fé em que tudo daria certo. “Vendo a fé daqueles quatro homens…”, narra o texto bíblico.

4. Celebração – Jesus, vendo a fé dos quatro homens, para tudo e atende ao paralítico, mas aproveita, como sempre fazia, para ensinar sobre sua missão principal: perdoar pecados, prerrogativa exclusiva. Depois, cura o paralítico e dá uma ordem: “Toma a sua cama, levanta e segue”. Ou seja, lembra o pregador, reaja e siga os caminhos que Deus traçou para sua vida. E faça isso celebrando, que foi o que todos fizeram, comemorando o grande feito na vida daquele paralítico.

Ao concluir sua fala, Tony Gray fez-me refletir, profundamente, quando questionou sobre as duas únicas posições na vida, obviamente, aplicando ao contexto daquele momento, mas, mais uma vez eu digo, que se aplica a tudo na vida: “Ou você é o paralítico espiritual ou está carregando algum paralítico na maca para levar a Jesus”.

Na vida, temos apenas dois lugares: ou somos nós os paralíticos espirituais e mentais, ou estamos carregando paralíticos espirituais e mentais a caminho da liberdade.

Anúncios
5 Comentários leave one →
  1. Miquéias permalink
    23 de abril de 2012 14:37

    Refletindo sobre o texto cabe nos posicionar o que realmente somos? operários que precisa de ouvir constantemente os princípios que regem o êxito para podermos caminhar na vida, ou seremos o mestre, o líder, o guerreiro que transformar informações em ações que levem ao reconhecimento das pessoas e que fizemos diferença na vida dos que nos seguem.

  2. Eloi Meirelles de Souza permalink
    23 de abril de 2012 17:44

    Excelente artigo Caldas. Você fez uma aplicação muito coerente e correta da dimensão dessa mensagem para a vida do homem.
    O grande desafio que temos na nossa existência é depender de Deus. Uma vez que a natureza humana é direcionada para a independência – somos educados assim e educamos os nossos filhos dessa maneira também – precisamos entender que Deus nos chama da nossa independência para dependermos Dele. Todas as características apontadas por Tony Gray, a saber: compaixão, cooperação, determinação e celebração só poderão ser vividas de maneira real, se de fato vivermos sob a dependência de Deus. Foi assim com o paralítico e com aqueles quatro homens, e também, é, e será, com todos nós.

  3. Rodrigo Alves permalink
    24 de abril de 2012 1:40

    Ola Amados,
    Meu nome é Rodrigo Alves estava com o Pr Tony em sua igreja. Esse Projeto tem falado muito ao meu coração ha mais de 10 anos. Tinha 18 anos quando conheci um grupo de americanos, eu nem falava Good Morning, e senti que precisa aprender inglês mas naquela epoca sem nenhuma condição para entrar em um curso. Estudei pela net. fitas cassetes pois sabia que Deus de alguma forma iria me usar algum dia..anos se passaram e continuei indo aos projetos mesmo sem saber nada de ingles e nem da biblia pois era novo convertido.. porem Deus me deu varias oportunidades anos depois de traduzir do ingles para o portugues e de ser um instrumento usado por Ele. Este ano minha igreja estara recebendo um grupo para realizar o maior dos meu sonhos.. que é Evangelismo Integral em um projeto sem capela. Acredito no por de Deus, e acredito que Deus irá tocar em seus corações para ajudarem de alguma formas esses bravos irmãos que disponibilizam suas vidas para servir a Cristo. Ore e Deus falará no seu coração e Abençoe a Missão Pioneira. Deus tem muito para nos usar. Talvez um dia farei parte de um Chamado Tão Especial assim.. Eu estou disposto a me oferecer e voce o que esta disposto? Deus abençoe vocês

    • Ideraldo belini ferreira permalink
      24 de abril de 2012 12:00

      Parabéns Rodrigo, sou Ideraldo, irmão do pastor Marcos da missão pioneira, se quiser as datas dos projetos para este ano, me envie um email troybrasil2012@gmail.com

      • Rodrigo Alves permalink
        25 de abril de 2012 13:52

        obrigado Ideraldo. O pr Tony me passou ja as datas. mas obrigado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: